Vitória de olho em jogadores do Bahia



2010 ainda nem começou mas o Vitória já esta se articulando para montar um time forte. E dois prováveis reforços podem surgir do rival tricolor. O primeiro a ser procurado foi o zagueiro Nen e, na semana passada, foi a vez do volante Leandro. Procuradores dos jogadores foram contactados e as conversas devem progredir, principalmente com relação a Leandro. Em entrevista a Rádio TUDO FM 102, o presidente do Vitória, Alex Portela Jr. negou que tivesse interesse em qualquer jogador do Bahia. Resta aguardar pra ver o que vai acontecer. Este ano o rubro-negro levou vantagem no BAVI das contratações. Três jogadores que estavam certos de ir para o Fazendão apareceram no Barradão: Roger, Neto Berola e Nino Paraiba.

Vitória vence o Náutico de virada por 3 a 1



Leandrão e Jackson saíram do banco de reservas na segunda etapa e garantiram o triunfo do Vitória, de virada, sobre o Náutico, por 3 a 1, no Barradão, neste domingo, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. O resultado mantém vivo o sonho dos baianos de brigar por uma vaga no G-4 na reta final da competição, enquanto complica ainda mais a situação dos recifenses, que perderam a oportunidade de ganhar uma posição na tabela e dar um passo importante para escapar do rebaixamento.

Apesar da superioridade dos rubro-negros, que chegaram a perder um pênalti, com Roger, na primeira etapa, Bruno Mineiro abriu o placar para os alvirrubros, no primeiro minuto do segundo tempo. Mas, após a expulsão do zagueiro Vágner Silva, Leandrão, duas vezes, e Jackson marcaram para o Leão.

Os comandados de Vagner Mancini são os nono colocados, com 44 pontos, cinco a menos que o quarto, o São Paulo. O Timbu segue ameaçado, com 29, na 18ª posição.

As equipes voltam a campo no sábado. O Vitória enfrenta o Atlético-MG, no Mineirão, às 18h30m (de Brasília), mesmo horário em que o Náutico recebe o Barueri, nos Aflitos.

Confira a classificação e os jogos do Brasileirão 2009

Oportunidades desperdiçadas

A primeira ameaça do Vitória aconteceu aos 11 minutos do primeiro tempo. Em boa jogada pela direita, Nino Paraíba fez o cruzamento para a área, e Ramon cabeceou, para a defesa de Gledson. Novamente pelo flanco direito, aos 16, Nino avançou e foi derrubado por Michel. A arbitragem assinalou o pênalti, apesar dos protestos dos recifenses, que pediam que fosse marcada falta fora da área. Na cobrança, Roger chutou no canto direito de Gledson, que escolheu certo e evitou o gol.

Aos 30, foi a vez do Timbu desperdiçar uma chance incrível de marcar. Em contra-ataque veloz, Carlinhos Bala ficou cara a cara com Viafara, mas chutou rasteiro, e o goleiro rubro-negro defendeu com o pé.

Aos 35, Roger recebeu na entrada da área, cortou o zagueiro alvirrubro e chutou colocado, buscando o ângulo esquerdo de Gledson, mas a bola subiu demais e saiu pela linha de fundo. Logo em seguida, aos 38, os visitantes viveram um novo sufoco. Em bola levantada na área, Gledson tentou se antecipar a Roger, mas não conseguiu, e o atacante, de cabeça, carimbou o travessão. No rebote, Gláucio chutou de primeira, e Vagner Silva salvou, quase em cima da linha. O time do técnico Geninho só pôde respirar aliviado quando Cláudio Luiz afastou o perigo.

O Leão ainda teve boa chance aos 45, quando Nino Paraíba chutou de esquerda de fora da área, e a bola saiu por cima do gol, tirando tinta do travessão.

Surpreendido, Leão consegue virada

Se terminou a primeira etapa pressionado, o Náutico voltou do vestiário decidido a mudar a história do jogo. Foi necessário pouco mais de um minuto para Bruno Mineiro aproveitar a boa jogada do Timbu pela esquerda, receber na área e chutar duas vezes para abrir o placar.

A reação do técnico Vágner Mancini veio aos 12. Saíram Roger - sob vaias - e Vanderson, para as entradas de Leandrão e Neto Berola. Antes que as alterações no time baiano surtissem efeito, os recifenses ficaram com um homem a menos em campo. Aos 14, o zagueiro Vágner Silva fez falta dura em Ramon na intermediária e foi expulso sem sequer receber o cartão amarelo.

Mas Mancini teve que esperar pouco pelos frutos de suas alterações. Aos 17, Leandrão aproveitou o cruzamento de Nino Paraíba e, de cabeça, empatou o jogo. Enquanto os rubro-negros comemoravam, os alvirrubros reclamavam de falta do atacante sobre Cláudio Luiz.

A virada baiana veio aos 35. Em mais uma jogada com interferência direta de Mancini, Jackson, que havia acabado de entrar no lugar de Gláucio, fez o passe para Leandrão se antecipar à zaga e desviar de esquerda para marcar o segundo.

A tabela se repetiu, no sentido inverso, aos 46. Na entrada da área, Leandrão recebeu a bola, fez a proteção e rolou para Jackson chegar chutando para o fundo das redes, consolidando a vitória rubro-negra.

Vitória contrata Pelezinho

O Vitória assinou contrato com o jogador Pelezinho, de 19 anos, por dois anos. O presidente Alexi Portela Jr. está apostando no lateral esquerdo que foi um dos destaques do Campeonato Baiano 2009 atuando pelo Ipitanga.


Rafael Reis dos Santos “Pelezinho”, surgiu para o futebol aos 16 anos de idade, na seleção sub-17 de São Francisco do Conde, quando disputou uma competição da Federação Bahiana de Futebol. Descoberto pelo presidente do Ipitanga, Renato Brás, o atleta iniciou a carreira profissional na divisão de base do Ipitanga, onde fez seu primeiro contrato ainda na categoria Junior.

Recentemente Pelezinho foi procurado por empresários para seguir para o futebol paulista, especificamente o Santos seria o destino, mas o Vitória chegou na frente e decidiu investir no jovem talento.

Oração para os incolores

SENHOR,
SEI QUE O MEU TIME É OTÁRIO
MAS PORQUE TIVE QUE ENFRENTAR O FERROVÁRIO?

MINHA SANTA BERNADETE,
REZEI PRA TODOS OS SANTOS
E ACABEI TOMANDO SETE!

SENHOR,
SE TENHO 2 ESTRELAS
PORQUE SÓ FAÇO BESTEIRAS?
SE NASCI PRA VENCER
POR QUE SÓ FAÇO PERDER?

SÃO JUDAS TADEU,
SE DEU ESTÁDIO AO VITÓRIA
POR QUE NÃO ME DEU?

SENHOR,
ESTAMOS DE PERNAS TORTAS
AGORA VEM O ÚLTIMO COLOCADO
QUE É O BRASIL DE PELOTAS?
MINHAS ESTRELAS NAUM BRILHAM NENHUMA
AINDA TEREI QUE ENFRENTAR O CRICIÚMA?

SENHOR,
NESSE ÚLTIMO JOGO
SÓ GANHAMOS PORQUE APELAMOS
DEVIAMOS JOGAR COM 11
JOGAMOS COM 13.

NOSSA SENHORA,
NÃO NOS FECHE A PORTA
LIVRAI-ME DE NEWTON MOTTA!

SÃO AGENOR,
TENHA PIEDADE DA BAMOR.

MEU SÃO CRISPIM,
TENHA PENA DE MIM!

NOSSA SENHORA DA GLÓRIA,
FAZEI COM EU SEJA IGUAL AO VITÓRIA.

MEU SANTO PADROEIRO DO BAMBÚ,
NA SÉRIE "C" SÓ FIZ TOMAR NO CÚ!

MEU SÃO JOÃO,
LIVRAI-ME DA 3ª DIVISÃO.

MEU SÃO CLEMENTE,
LIVRAI-ME DESSA DIRETORIA INCOPETENTE.

SENHOR,
ESCUTA MINHA PRECE
POIS TANTO SOFRIMENTO
A TORCIDA NÃO MERECE
E SE PIEDADE RESTA SENHOR
SEJA MEU PATROCINADOR
AMÉM!!!

Vitória empata com Santos em 0 a 0



Santos e Vitória entraram em campo, nesta segunda-feira, no Pacaembu, sonhando com uma vaga na Taça Libertadores. Mas o 0 a 0 acabou sendo ruim para os dois times. Pior até para o Peixe. Os 30 mil santistas que pagaram ingressos para ver a equipe neste feriado, deixaram o estádio frustrados com a 13º posição, com 40 pontos. O G-4 está sete pontos à frente. Já o Leão, com o pontinho conquistado, está em 10º, com 41.

Ao fim da partida, em meio a muitas chances perdidas pelo Peixe, os torcedores vaiaram muito a diretoria. Houve até quem gritasse por Marta e Cristiane, estrelas do time feminino, que estão em grande fase na Taça Libertadores.

Peixe aperta, mas passa em branco

O Santos começou o jogo empolgado e quase marcou logo aos nove segundos de jogo, quando Felipe Azevedo desceu pela direita e cruzou rasteiro para Neymar, livre na entrada da pequena área, completar. O gol não saiu porque o atacante pegou mal na bola e mandou por cima. À medida que o jogo foi se desenrolando, porém, o que era rapidez virou pressa e Peixe começou a perder demais a bola.

Neymar, jogador mais inspirado do Peixe, tentava trocar passes com seus companheiros, mas apenas Felipe Azevedo correspondia. Os dois laterais alvinegros, Luizinho e Triguinho, tinham dificuldades até para dominar a bola. Sobretudo Luizinho, que levou os santistas à loucura, errando muitos passes.

Já o Vitória tinha uma proposta de jogo bem definida: esperar o Peixe em seu campo para explorar contra-ataques, sempre puxados por Neto Berola, que entrou no lugar de Roger, machucado, aos 25 minutos. Com essa estratégia, o Leão conseguiu criar algumas chances. Aos 29, após trapalhada de Luizinho, a equipe baiana roubou a bola. Ramon recebeu dentro da área, driblou dois santistas, mas na hora de fazer o gol, foi travado por André Astorga. Outra boa oportunidade para os visitantes aconteceu aos 37, quando Ramon cobrou escanteio na cabeça de Wallace. O zagueiro só não fez o gol porque Pará apareceu quase em cima da linha para salvar o Santos.

O domínio da posse de bola era do Santos, mas faltava acerto nos passes. Quando houve o mínimo de capricho, o Alvinegro chegou. Isso aconteceu aos 20: Pará rolou para Neymar, que dominou e abriu para Kléber Pereira. O atacante, que entrava pela esquerda, encheu o pé e Gléguer fez grande defesa. Kléber perderia outra boa chance aos 32, quando Neymar fez jogada individual pela esquerda e cruzou para o camisa 9 cabecear fraco.

Vaias para Kléber Pereira e a diretoria

O Santos encurralou o Vitória desde o início do segundo tempo. Com a entrada de Madson no lugar de Luizinho, o Peixe ganhou mais presença no ataque e passou a criar chances desde o início. Madson tentou aos 2, num chute de fora: Gléguer espalmou. Aos 12, o baixinho recebeu de Neymar e, na cara do gol, errou o chute.

O Vitória não passava do meio de campo. Estava todo acuado, tentando um contra-ataque que não vinha. E o Alvinegro seguia desperdiçando chances. Aos 22, foi a vez de Kléber Pereira mandar na trave mais uma oportunidade: ele completou, de primeira, bom lançamento de Madson e mandou a bola no poste direito.

A paciência da torcida santista com o artilheiro do time, que estava no limite, se esgotou após esse lance. Ele foi substituído aos 26 minutos e a torcida vibrou como num gol. André entrou em seu lugar. O substituto começou mal, mas aos 41 largou Neymar na cara do gol. O garoto avançou, cortou a marcação e tentou colocar, mas errou o alvo.

Com mais uma chance perdida, a frustração dos mais de 30 mil torcedores que compareceram ao Pacaembu explodiu. O alvo dos descontentes: o presidente Marcelo Teixeira. Ele e sua diretoria foram xingados pelos torcedores.


Ficha técnica:
SANTOS 0 x 0 VITÓRIA

SANTOS
Felipe, Luizinho (Madson), André Astorga, Eli Sabiá e Triguinho, Pará, Rodrigo Souto, Germano e Felipe Azevedo (Róbson); Neymar e Kléber Pereira (André).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

VITÓRIA
Gleguer, Apodi, Wallace, Fábio Ferreira e Leandro; Vanderson, Magal, Willian (Gil) e Ramón; Roger (Neto Berola/Elkeson) e Glaucio.
Técnico: Vagner Mancini.
Gols: .
Cartões amarelos: Triguinho, Rodrigo Souto, Germano, Neymar (Santos), Apodi, Willian (Vitória). Cartão vermelho: .
Estádio: Pacaembu, em São Paulo. Data: 12/10/2009. Árbitro: Wagner Reway (MT). Auxiliares: Hilton Moutinho Rodrigues (RJ) e Lincoln Ribeiro Taques (MT). Renda e público: R$ 263.305,00/23.673 pagantes

Vitória apresentou seu novo patrocinador



O Vitória apresentou antes do jogo desta quarta-feira o seu novo patrocinador, a Megaware, fabricante brasileira de desktops e notebooks. O contrato terá duração de três meses, mas de acordo com o diretor de Marketing, Ricardo Azevedo, existe a possibilidade de renovação na temporada de 2010.

O Vitória é a mais nova aposta da fabricante que passa a ter a Megaware como patrocinadora master até o final do Campeonato Brasileiro. “A escolha pelo clube se deu graças à solidez da equipe, além da boa colocação no campeonato que permitirá visibilidade da marca em abrangência nacional”, aponta Juliana Mattozinho, gerente de Marketing da Megaware.

Fundada em 1995, a Megaware é uma companhia integralmente nacional, produtora de equipamentos de informática tais como servidores, desktops e notebooks. A empresa tem sede localizada na cidade de Barueri (Alphaville-SP) e unidade fabril em Belo Horizonte (MG).

Nadskol - a parceria que desce redondo

FOTO: diretoria do Vitória manda presentes para filho de Ivete Sangalo

Vitória empata com o Flamengo e Roger desencanta

O Flamengo, que não levava gols havia seis jogos, sofreu logo três de uma vez. A invencibilidade, no entanto, continua. Em jogo eletrizante, o time de Andrade, que não perde desde a vitória por 3 a 0 sobre o Santo André, no dia 29 de agosto, empatou por 3 a 3 com o Vitória, no Barradão, nesta quarta-feira, e manteve vivo o sonho de chegar à Libertadores. Os baianos têm motivos de sobra para lamentar, já que tinham os três pontos nas mãos até os 45 do segundo tempo, quando Zé Roberto salvou os cariocas.

O Flamengo segue em 6º lugar no Brasileirão e torce para Atlético-MG e Goiás perderem nesta quinta-feira para, respectivamente, Botafogo e Cruzeiro, ambos fora de casa. O time está com 42 pontos, cinco a menos do que o Galo, o quarto colocado. O Goiás é o quinto, com 45. O Vitória continuou em 8º lugar, com 40. Não fosse o gol de Zé Roberto, as posições estariam invertidas.

Na próxima rodada, o Flamengo recebe o São Paulo, sábado, no Maracanã. O Vitória enfrenta o Santos, segunda-feira, na Vila Belmiro.

Confira aqui a classificação do Campeonato Brasileiro

Começo de tirar o fôlego

Aos seis minutos, Zé Roberto arrancou pela esquerda, mostrando a velocidade dos velhos tempos, e tentou dar um leve toque por cobertura, mas Gleguer teve reflexo e fez excelente defesa. Logo depois, Léo Moura enfileirou pelo meio e rolou para Pet, que chutou de fora da área. O Vitória parecia assustado.

O gol não demorou a sair. Mais uma vez Zé Roberto arrancou pela esquerda, sentindo-se em casa no campo de seu ex-clube. Tinha a opção de rolar para Petkovic, mas preferiu esticar a bola até Denis Marques. O criticado atacante chutou mal e contou com a sorte: a finalização desviou no zagueiro e enganou Gleguer, aos 12 minutos.

O gol acordou o Vitória. Logo quatro minutos depois, Ramon cobrou escanteio, Roger subiu mais do que Aírton e testou para marcar seu 13º gol na competição. Bruno ainda tocou na bola, mas não deu para salvar: 1 a 1.

Aos 19, foi a vez de Petkovic cobrar falta rasteira e Gleguer falhar: 2 a 1. Mas Bruno ficaria atônito três minutos depois. Ramon bateu falta com perfeição e jogou no canto, com o goleiro rubro-negro estático: 2 a 2. Ramon, aliás, foi um dos destaques da partida, com bons passes no meio de campo.

Depois dos quatro gols em sete minutos, o jogo esfriou. A emoção só voltou aos 35, quando Petkovic deixou Denis Marques livre e o atacante finalizou de canela, para fora.

Aos 38, Everton deixou o campo com um sangramento no rosto depois de ter sido atingido involuntariamente por Vanderson. E foi justamente pelo setor esquerdo da defesa do Flamengo, na primeira jogada sem o lateral, que surgiu o gol de virada do Vitória. Gláucio arrancou, e Álvaro não conseguiu marcá-lo. Ramon recebeu o passe e tocou com categoria: 3 a 2

Gleguer se redime em duelo com Pet

Ainda no primeiro tempo, aos 45, Pet sofreu falta no lado esquerdo da área. Ele mesmo cobrou e Gleguer se redimiu da falha no segundo gol.

No segundo tempo, o Vitória voltou melhor. Vagner Mancini neutralizou as arrancadas de Zé Roberto, que passou a receber menos bolas. Roger, em chute de fora da área bem defendido por Bruno, mostrou que o Flamengo teria dificuldades.

O Flamengo só voltou a ameaçar em nova cobrança de falta de Petkovic. O chute de longe, com uma curva impressionante, foi espalmado por Gleguer aos 18 minutos.

Zé Roberto brilha no fim

Como o Flamengo ameaçava apenas nas bolas paradas, Andrade trocou Willians por Juan para tentar a reação. Não adiantou muito. Mancini respondeu colocando Elkerson, que também não se destacou.

Já nos últimos 15 minutos, Andrade sacou Denis Marques e apostou em Bruno Mezenga. O atacante entrou mal, errou chutes e passes, mas acertou um lançamento excelente para Juan aos 45 minutos, pouco depois de um contra-ataque que Apodi desperdiçou ao tentar driblar Ronaldo Angelim. Juan dominou, levantou a cabeça, cruzou e Zé Roberto coroou sua boa atuação do primeiro tempo com o gol salvador: 3 a 3, no momento em que o Vitória esfriava o jogo, e a torcida local comemorava um resultado que daria moral ao time na luta pelo G-4.

Alexi Portela garante novo patrocinador até sexta-feira



diretoria do Vitória deve fechar nos próximos dias o contrato com a nova patrocinadora de material esportivo do clube, que substituirá a Champs, em janeiro do ano que vem. Segundo o presidente do clube, Alexi Portela, em conversa agora há pouco com o Bahia Notícias, o anuncio da nova empresa deve ser feito até sexta-feira. “Nós vamos bater o martelo com o novo patrocinador até a próxima sexta-feira. Há uma negociação com a Penalty e mais duas empresas, que não podemos revelar os nomes para não atrapalhar as negociações. Mas é bom lembrar que o material começará a ser produzido para a próxima temporada”, adiantou.

Bomba! O Jahia vai contratar o irmão de MESSI!!!

O azarado

Um sujeito encontra um amigo que não via há muito tempo e, querendo ser simpático, inicia a conversa:
- E aí Paulinho, tudo bem?
- Péssimo... - responde o outro.
- Mas como péssimo? Com aquela Ferrari que você tem?
- Deu perda total num acidente... E o pior é que o seguro tinha acabado de vencer.
- Bem, vão-se os anéis, mas ficam os dedos. E aquele filhão Inteligente ?
- Estava dirigindo a Ferrari... Morreu.
O cara tenta fugir daquele assunto tão trágico:
- E aquela sua filha que mais parecia uma modelo?
- Pois é... Estava junto com o irmão.. Só a minha mulher não estava no carro.
- Graças a Deus! Como ela vai?
- Fugiu com o meu sócio.
- Bem... Pelo menos a empresa ficou só para você.
- Ela fugiu com ele porque me roubaram tudo. Deixaram a firma falida. Estou devendo milhões!
- Pôxa vida, então, vamos mudar de assunto, e seu time?
- Sou BAÊAAAA Minha porra !!!!!!
- Pelo amor de Deus, Paulinho! Você não tem nada de positivo???
- HIV.

Torcida Os Imbatíveis completa 12 anos

A melhor e mais empolgante torcida do estado da Bahia e do Nordeste do Brasil: TUI - Torcida Uniformizada os Imbatíveis. Parabéns por mais um ano de existência.

A estreia do novo bandeirão da TUI será no dia 28/10 contra o Corinthians, na mesma data que está marcado o "Barradão em Chamas". Veja no link como concorrer à vários prêmios, inclusive camisa autografada pelos jogadores.

Vídeo: Santo André 1 x 0 Vitória

Vitória perde do Santo André por 1 a 0

O Santo André estreou neste sábado a sua terceira camisa, amarela. E a cor da seleção brasileira deu sorte para o time do ABC paulista, que terminou o dia fora da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. No estádio Bruno José Daniel, o Ramalhão quebrou uma sequência positiva do Vitória, derrotando o time baiano por 1 a 0. Graças a um gol-relâmpago de Nunes, aos 35 segundos de jogo.

Com a vitória, o time paulista chegou aos 28 pontos, subindo para a 16ª colocação, à frente do Náutico. Derrotado após três vitórias seguidas (Palmeiras, Inter e Botafogo), o Rubro-Negro baiano permanece na sétima posição, com 39 pontos.

As duas equipes voltam a campo na próxima quarta-feira. O Santo André faz um duelo paulista contra o Barueri, na casa do adversário, às 19h30m. O Vitória recebe o Flamengo no Barradão, às 21h50m.

Gol no início decide

Com a extrema necessidade de conquistar três pontos, o Santo André se lançou ao ataque logo após o apito inicial e abriu o marcador com apenas 35 segundos. Marcelinho Carioca cruzou da direita e achou Nunes na marca do pênalti. O atacante aproveitou a bobeira da marcação e cabeceou bem, rente à trave esquerda, longe do alcance do Gléguer.

O gol-relâmpago não reduziu o ímpeto do Ramalhão, que por pouco não ampliou a vantagem aos cinco minutos. Nunes recebeu pela direita e cruzou para Júnior Dutra. O atacante pegou de bate-pronto, e Gléguer fez uma linda defesa. O goleiro do Vitória voltou a ser exigido aos 12. Dessa vez, Nunes passou para Marcelinho Carioca, que chutou rasteiro. Gléguer defendeu.

O Vitória demorou a se recuperar do impacto do gol sofrido logo no primeiro lance da partida. Apenas aos 19 minutos, a equipe conseguiu criar uma jogada de perigo. Roger tocou para Neto Berola, que chutou da entrada da área. Neneca espalmou para córner. Aos 27, o goleiro do Santo André voltou a ser acionado, defendendo bola chutada por Uellinton, em cobrança de falta.

Mas a reação do Rubro-Negro baiano ficou prejudicada aos 29 minutos. Em lance na intermediária, Neto Berola entrou de forma imprudente em Ávine, acertando o pé esquerdo do lateral do Ramalhão. O árbitro Paulo Henrique Barbosa considerou a entrada violenta e expulsou o atacante.

Aos 38, foi a vez do Santo André perder um jogador. Nunes disputou uma bola alta com Marco Aurélio. O árbitro viu uma cotovelada do atacante do Santo André e expulsou o autor do gol, que deixou o gramado revoltado, discutindo com o quarto árbitro.

No segundo tempo, o Ramalho teve a primeira chance de balançar a rede. Aos sete minutos, Júnior Dutra recebeu de Marcelinho, driblou quatro adversários e chutou rente à trave direita, quase marcando um golaço.

Com a desvantagem no marcador, o treinador do Vitória, Vágner Mancini, decidiu colocar um meia (Gláucio) no lugar de um zagueiro (Marco Aurélio) para tentar ganhar mais força no ataque.

Apesar da postura mais ofensiva, o Rubro-Negro baiano ameaçou pouco o gol adversário. A melhor chance ocorreu aos 25. Leandro Domingues arriscou da entrada da área, e Neneca se esticou e salvou no canto esquerdo. Roger pegou o rebote e chutou à queima-roupa. O goleiro saiu bem e desviou para escanteio.

O Santo André voltou a reclamar da arbitragem aos 33 minutos. Cicinho tentou driblar Fábio Ferreira na área e foi agarrado. Paulo Henrique Bezerra nada marcou.

Ficha técnica:
Santo André 1 x 0 Vitória

SANTO ANDRÉ
Neneca, Cesinha, Marcel e Cris; Cicinho, Ricardo Conceição, Júnior Dutra (Rômulo), Marcelinho Carioca (Eduardo Ratinho) e Ávine; Rodrigo Fabri (Leandrinho) e Nunes.
Técnico: Sérgio Soares.

VITÓRIA
Gléguer, Apodi, Fábio Ferreira, Marco Aurélio (Gláucio) e Leandro; Vanderson (Carlos Alberto), Elkeson (Leandrão), Uellinton e Leandro Domingues; Neto Berola e Roger.
Técnico: Vágner Mancini.
Gols: Nunes, a 35 segundos do 1º tempo.
Cartões amarelos: Vanderson, Uellinton (Vitória), Nunes, Cesinha, Cris, Júnior Dutra (Santo André). Cartão vermelho: Neto Berola (Vitória) e Nunes (Santo André)
Estádio: Bruno José Daniel. Data: 3/10/2009. Árbitro: Paulo Henrique Bezerra. Auxiliares: Luis Alberto Kallenberger e Angelo Rudimar Bechi.

Atacante do Vitória se aposentaria em julho passado



Para defender o Vitória hoje na Série A, o atacante Derlei precisou mudar seus planos. Não por conta de outras propostas, mas pelas declarações no início do ano de que iria se aposentar em julho último.

Ainda no final do ano passado, a hipótese ganhou mais força depois que o atacante de 34 anos não quis renovar contrato com o Sporting, de Portugal, clube que defendia à época.

'Tenho mais seis meses pela frente e muita coisa ainda pode acontecer, mas acredito que seja a minha última temporada e espero que seja a da consagração, saindo do Sporting com um título de campeão. Seria o final perfeito da minha carreira', disse Derlei ao diário Bola, de Portugal.

Embora tenho afirmado ainda na temporada passada que voltaria ao Brasil ao fim do seu contrato, Derlei não mostrou interesse de defender um clube brasileiro. Contudo, no dia 27 de agosto, ele foi anunciado como novo reforço do Vitória para 2009.

Futebol dos Jogos será em Salvador



Os baianos vibraram muito com a escolha do Rio de Janeiro como sede das Olimpíadas de 2016. Não só pelo patriotismo, mas também por um fator determinante: a Fonte Nova será palco de partidas do futebol feminino e masculino durante a realização dos Jogos Olímpicos no Brasil.

As garantias para a realização de partidas na cidade foram aprovadas em maio pelos deputados estaduais. A aprovação era uma exigência do comitê organizador e visa, dentre outras coisas, a proteção de marcas e símbolos das Olimpíadas.

Salvador receberá algumas partidas do futebol ao lado de Belo Horizonte, Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro. Ainda não estão definidas as fases que serão realizadas na capital baiana. O certo, no momento, é de que a final acontecerá no Maracanã, no Rio de Janeiro.

Existe até mesmo a possibilidade de o estádio reformado para a Copa do Mundo de 2014 abrigar jogos das seleções brasileiras masculina e feminina. "Seria muito bom para a gente se isso acontecesse. Um prêmio para Salvador", comentou o secretário do Trabalho, Renda, Emprego e Esporte do Estado (Setre), Nilton Vasconcelos.

De acordo com ele, a escolha da capital baiana e das outras duas cidades para abrigar os jogos foi do Comitê Organizador. "Salvador está muito falada para a Copa de 2014, é a terceira maior capital do País e um grande atrativo para o turismo", explicou.

Vasconcelos lembrou que os investimentos na cidade continuarão focados em 2014. A infraestrutura utilizada será a mesma, havendo apenas a necessidade da manutenção e ampliação dos pontos que apresentarem falhas. "Nosso projeto fundamental ainda é a Copa do Mundo".

Mas, para que tudo isto realmente aconteça, o governo precisa garantir, primeiro, a reconstrução da Fonte Nova. A licitação para a demolição e construção do estádio deve ser publicada em 15 dias já com as alterações da consulta pública.

O cronograma da Fifa determina que a empresa vencedora da licitação seja conhecida até 31 de dezembro deste ano. Mas, questões judiciais podem fazer com que o nome não seja divulgado até lá. "É possível sim que haja algum tipo de retardamento", reconheceu o secretário Nilton Vasconcelos.

Assim como foi após o anúncio dos Jogos Pan-Americanos no Rio de Janeiro, os governos estadual e federal iniciaram as promessas de incentivo ao esporte. A justificativa utilizada foi a mesma, a oportunidade de o Brasil fazer história também na pontuação geral do quadro de medalhas.

O secretário da Setre, Nilton Vasconcelos, informou ontem que incrementos devem ser feitos ao programa estadual Faz Atleta. O projeto já beneficiou atletas como os nadadores Allan do Carmo e Ana Marcela Cunha, que representaram o Brasil na disputa da maratona aquática durante as Olimpíadas de Pequim. "Nós temos que fazer bonito em todos os aspectos", acrescentou.

As promessas partiram também de Brasília. Logo depois do anúncio do Rio de Janeiro como cidade sede, o presidente da Comissão do Desporto e Turismo da Câmara dos Deputados, Afonso Hamn, (PP-RS) afirmou que haverá maior incentivo em todo o País. "Nós, da comissão, já estamos trabalhando na legislação para melhorar condições de apoio aos esportistas brasileiros", disse em entrevista à Agência Brasil. "Num país como o nosso, que tem praticamente 200 milhões de pessoas muito jovens, é inexplicável o fato de novos talentos demorarem a ser descobertos", acrescentou Hamn.

O parlamentar acredita que a motivação deve começar ainda nos primeiros anos escolares, para dar condições àqueles que se destacam no chamado esporte de rendimento. "Temos que preparar os nossos atletas, e para isso, estamos estimulando a questão da educação física nas escolas. Também colocamos na LDO [Lei de Diretrizes Orçamentárias], recursos para garantir a infraestrutura desportiva", finalizou Afonso Hamn. (RC)

Vídeo - Vitória 1 x 1 River Plate (URU)

Vitória é eliminado da Sul - Americana 2009



Deu até impressão de que poderia ser mais fácil do que se imaginava. Mas o Vitória fracassou. Parecia uma tarefa quase impossível vencer o River Plate do Uruguai por três gols de diferença - os baianos haviam perdido o primeiro jogo por 4 a 1, fora de casa. O time uruguaio, porém, entregou todo seu campo defensivo para os donos da casa, que perderam as contas das chances desperdiçadas. O River ajudou até nos contra-ataques, com cenas dignas de comédia pastelão. Mas o Vitória fez apenas um gol, levou o empate nos acréscimos, e foi eliminado da Copa Sul-Americana. Nas quartas de final, o River enfrentará o San Lorenzo.

Pressão baiana e bizarrices uruguaias

No primeiro tempo, o Vitória sufocou o River, que não passou do meio de campo nos 20 minutos iniciais. Willians perdeu uma chance, Neto Berola também, e Roger errou o gol depois de receber sozinho, quase na marca do pênalti. Uma pressão ao mesmo tempo animadora, pela fragilidade da zaga adversária, e preocupante, já que os gols perdidos certamente fariam falta.

Todo o time do Vitória subia em busca do placar, até que o River encaixou um contra-ataque. Puppo recebeu na área. Tensão para os baianos. Mas o atacante chutou longe. Pouco depois, outro contra-ataque, desta vez ainda mais bizarro. Andrezinho arrancou livre na direção de Gleguer, mas tocou com o calcanhar na bola, caiu com a mão na coxa e foi substituído. Na jogada seguinte, Puppo voltou a aprontar das suas, chutando para fora quase da linha da pequena área, sem zagueiro nenhum ao lado. Hilário, não fosse o fato de que já eram marcados 46 minutos do primeiro tempo, e o Vitória não havia chegado ao primeiro dos três gols que teria de alcançar.

River administra a vantagem

O segundo tempo mudou o cenário do jogo. Saíram os lances pitorescos, a pressão do Vitória já não era a mesma, e o River tocava a bola para fazer o tempo passar. Roger errou uma cabeçada, Apodi tentou de longe e...nada. Só aos 41 o placar foi aberto, com chute de longe de Elkerson. Tarde demais. Ainda houve tempo para Roger atrapalhar um chute de Robert. Melhor para o River, que conseguiu empatar nos acréscimos, com Córdoba driblando Gleguer.


Ficha técnica:
VITÓRIA 1 x 1 RIVER PLATE (URU)

VITÓRIA
Gleguer, Apodi, Fábio Ferreira, Wallace e Leandro; Vanderson, Magal (Leandrão), Leandro Domingues, Willian (Robert); Neto Berola (Elkerson) e Roger.

RIVER PLATE (URU)
Luciano dos Santos, Diego Sosa, Ronaldo Conceição Sérgio Bica (Córdoba), Torrecilla, Gonzalo Porras, Jorge Rodríguez, Zambrana, Puppo (Juan Ferréz),Andrezinho(Klingender) e Sergio Souza
Técnico: Vagner Mancini. Técnico: Juan R. Carrasco.
Gol: Elkerson, aos 41 do segundo tempo e Córdoba, aos 48.
Cartões amarelos: Wallace, Roger (Vitória); Ronaldo Conceição (River)
Estádio: Barradão. Data: 30/09/2009. Árbitro: Pablo Pozo (Chile). Auxiliares: Patricio Basualto (Chile) e Francisco Mondría (Chile).