Futebol dos Jogos será em Salvador



Os baianos vibraram muito com a escolha do Rio de Janeiro como sede das Olimpíadas de 2016. Não só pelo patriotismo, mas também por um fator determinante: a Fonte Nova será palco de partidas do futebol feminino e masculino durante a realização dos Jogos Olímpicos no Brasil.

As garantias para a realização de partidas na cidade foram aprovadas em maio pelos deputados estaduais. A aprovação era uma exigência do comitê organizador e visa, dentre outras coisas, a proteção de marcas e símbolos das Olimpíadas.

Salvador receberá algumas partidas do futebol ao lado de Belo Horizonte, Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro. Ainda não estão definidas as fases que serão realizadas na capital baiana. O certo, no momento, é de que a final acontecerá no Maracanã, no Rio de Janeiro.

Existe até mesmo a possibilidade de o estádio reformado para a Copa do Mundo de 2014 abrigar jogos das seleções brasileiras masculina e feminina. "Seria muito bom para a gente se isso acontecesse. Um prêmio para Salvador", comentou o secretário do Trabalho, Renda, Emprego e Esporte do Estado (Setre), Nilton Vasconcelos.

De acordo com ele, a escolha da capital baiana e das outras duas cidades para abrigar os jogos foi do Comitê Organizador. "Salvador está muito falada para a Copa de 2014, é a terceira maior capital do País e um grande atrativo para o turismo", explicou.

Vasconcelos lembrou que os investimentos na cidade continuarão focados em 2014. A infraestrutura utilizada será a mesma, havendo apenas a necessidade da manutenção e ampliação dos pontos que apresentarem falhas. "Nosso projeto fundamental ainda é a Copa do Mundo".

Mas, para que tudo isto realmente aconteça, o governo precisa garantir, primeiro, a reconstrução da Fonte Nova. A licitação para a demolição e construção do estádio deve ser publicada em 15 dias já com as alterações da consulta pública.

O cronograma da Fifa determina que a empresa vencedora da licitação seja conhecida até 31 de dezembro deste ano. Mas, questões judiciais podem fazer com que o nome não seja divulgado até lá. "É possível sim que haja algum tipo de retardamento", reconheceu o secretário Nilton Vasconcelos.

Assim como foi após o anúncio dos Jogos Pan-Americanos no Rio de Janeiro, os governos estadual e federal iniciaram as promessas de incentivo ao esporte. A justificativa utilizada foi a mesma, a oportunidade de o Brasil fazer história também na pontuação geral do quadro de medalhas.

O secretário da Setre, Nilton Vasconcelos, informou ontem que incrementos devem ser feitos ao programa estadual Faz Atleta. O projeto já beneficiou atletas como os nadadores Allan do Carmo e Ana Marcela Cunha, que representaram o Brasil na disputa da maratona aquática durante as Olimpíadas de Pequim. "Nós temos que fazer bonito em todos os aspectos", acrescentou.

As promessas partiram também de Brasília. Logo depois do anúncio do Rio de Janeiro como cidade sede, o presidente da Comissão do Desporto e Turismo da Câmara dos Deputados, Afonso Hamn, (PP-RS) afirmou que haverá maior incentivo em todo o País. "Nós, da comissão, já estamos trabalhando na legislação para melhorar condições de apoio aos esportistas brasileiros", disse em entrevista à Agência Brasil. "Num país como o nosso, que tem praticamente 200 milhões de pessoas muito jovens, é inexplicável o fato de novos talentos demorarem a ser descobertos", acrescentou Hamn.

O parlamentar acredita que a motivação deve começar ainda nos primeiros anos escolares, para dar condições àqueles que se destacam no chamado esporte de rendimento. "Temos que preparar os nossos atletas, e para isso, estamos estimulando a questão da educação física nas escolas. Também colocamos na LDO [Lei de Diretrizes Orçamentárias], recursos para garantir a infraestrutura desportiva", finalizou Afonso Hamn. (RC)

0 comentários: